Total visualizações

11 maio 2017

Ricardo Reis - revisões

Na continuação das revisões e realização das provas de exame, recupera-se hoje algum do material de síntese publicado em fevereiro, bem como as ligações para os poemas deste heterónimo...se lerem e trabalharem vários estão mais próximos...algum há de sair (se vier RR)
poemas de R.R.  




(...)



VERSOS DE R. REIS PARA NÃO ESQUECER!
Só esta liberdade nos concedem 
      Os deuses: submetermo-nos 
Ao seu domínio por vontade nossa.
 

      Mais vale assim fazermos
Porque só na ilusão da liberdade 
      A liberdade existe. 


Nem outro jeito os deuses, sobre quem
      O eterno fado pesa,
Usam para seu calmo e possuído 
      Convencimento antigo
De que é divina e livre a sua vida.
      Nós, imitando os deuses,
Tão pouco livres como eles no Olimpo,
      Como quem pela areia
Ergue castelos para encher os olhos,
      Ergamos nossa vida
E os deuses saberão agradecer-nos
      O sermos tão como eles.


R.Reis30 - 7 - 1914
Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.

Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.

Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos Deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.

1 - 7 - 1916


Sem comentários: