Total visualizações

28 abril 2016

Planeta Terra

É este, é o nosso mundo.
 
Estar no mundo - sem ignorar o mundo!
 


 
 
 

Nações Unidas (filme)

Material de apoio às reflexões (grupo III)
 

 
FAZER A DIFERENÇA!

Informa-te! Consulta o sítio de organizações que fazem a diferença!
 
Organizações
 
 
 
 
 
 

Vaccines Save Lives

Mais exemplos para ajudar a pensar (textos de reflexão)





A outra escala...mas a mostrar que vale a pena e é possível


Mark Zuckerberg - 99% of His Facebook Shares to Charity


Malala |


Textos autobiográficos

 
 
 
 
 
 
A complementar as revisões, ficam exemplos, trabalhados no ano anterior, associados ao memorialismo, ao diário e a outros de natureza autobiográfica.
 
 



 
 
1
 
 
 
5
 
 
 
 
10
 
 
 
 
15
 
  Recordações
 
  Somos a memória que temos, sem memória não saberíamos quem somos. Esta frase, brotada da minha cabeça há muitos anos, no fervor de uma das múltiplas conferências e entrevistas a que o meu trabalho de escritor me obrigou, além de me parecer, imediatamente, uma verdade primeira, daquelas que não admitem discussão, reveste-se de um equilíbrio formal, de uma harmonia entre os seus elementos que, pensava eu, contribuiria em muito para uma fácil memorização por parte de ouvintes e leitores. Até onde o meu orgulho vai, e apraz-me declarar que não chega muito longe, envaidecia-me ser o autor da frase, embora, por outro lado, a modéstia, que também não me falta de todo, me sussurrasse de vez em quando ao ouvido que tão certa era ela como afirmar com toda a seriedade que o sol nasce a oriente. Isto é, uma obviedade.
   Ora, até as coisas aparentemente mais óbvias, como parecia ser esta, podem ser questionadas em qualquer momento. É esse o caso da nossa memória, que, a julgar por informações recentíssimas, está pura e simplesmente em risco de desaparecer, integrando-se, por assim dizer, no grupo das espécies em vias de extinção. Segundo essas informações, publicadas em revistas científicas tão respeitáveis como a Nature e a Learn Mem, foi descoberta uma molécula, denominada ZIP (pelo nome não perca), capaz de apagar todas as memórias, boas ou más, felizes ou nefastas, deixando o cérebro livre da carga recordatória que vai acumulando ao longo da vida. A criança que acaba de nascer não tem memória e assim iríamos ficar nós também. Como dizia o outro, a ciência avança que é uma barbaridade, mas eu, a esta ciência não a quero. Habituei-me a ser o que a memória fez de mim e não estou de todo descontente com o resultado, ainda que os meus atos nem sempre tenham sido os mais merecedores. Sou um bicho da terra como qualquer ser humano, com qualidades e defeitos, com erros e acertos, deixem-me ficar assim. Com a minha memória, essa que eu sou. Não quero esquecer nada.
José Saramago





 
Terça-feira, 11 de Abril de 1944
Querida Kitty:
 (…) Há de chegar o dia em que esta guerra medonha acabará, há de chegar o dia em que também nós voltaremos a ser gente como os outros e não apenas judeus.
Naquela noite pensei que ia morrer. Esperava pela Polícia, estava preparada como os soldados no campo de batalha, prestes a sacrificar-me pela pátria. Agora que estou salva, o meu desejo é naturalizar-me holandesa depois da guerra.
Sinto-me cada vez mais independente dos meus pais. Embora seja muito nova ainda, sei, no entanto, que tenho mais coragem de viver e um sentido de justiça mais apurado, mais seguro do que a mãe. Sei o que quero, tenho uma finalidade, uma opinião, tenho fé e amor. Deixem-me ser eu mesma e estarei satisfeita. Tenho consciência de ser mulher, uma mulher com força interior e com muita coragem.
Se Deus me deixar viver, hei de ir mais longe de que a mãe. Não quero ficar insignificante. Quero conquistar o meu lugar no Mundo e trabalhar para a Humanidade.
O que sei é que a coragem e a alegria são os fatores mais importantes na vida!
            Tua Anne
Diário de Anne Frank (excerto)

26 abril 2016

Exercícios gramaticais

Como prometido ficam exercícios sobre Funções Sintáticas e Orações
 


1.   Observa a frase e estabelece a correspondência correta entre os elementos da frase e as respetivas funções sintáticas.

Naquela ilha, um monstro terrível apavorava os povos.”


I

II
1. “Naquela ilha”

a) Sujeito.
2. “um monstro terrível”

b) Modificador.
3. “terrível”

c) Complemento direto.
4. “os povos”

d) Modificador do nome restritivo.

2.   Atenta na frase e estabelece a correspondência correta entre os elementos da frase e as respetivas funções sintáticas.

Amadis considerou Endriago demoníaco.


I

II
1. “demoníaco”

a) Sujeito.
2. “Endriago”

b) Predicado.
3. “considerou Endriago”

c) Complemento direto.
4. “Amadis”

d) Predicativo do complemento direto.



3.   Atenta na frase seguinte e estabelece a correspondência correta entre os elementos da frase e as respetivas funções sintáticas.

          "Deixei-a ali"

PESSOA, Fernando, "A criança que fui chora na estrada", in Antologia Poética, Editora Ulisseia, Lisboa, 1992.


I

II
1. “Deixei [eu]”

a) Sujeito nulo subentendido.
2. “Deixei-a ali”

b) Predicado.
3. “ali”

c) Complemento direto.
4. “-a”

d) Modificador do grupo verbal.


4.   Classifica as seguintes afirmações em verdadeiras (V) ou falsas (F).

a.    Na frase “O presidente nomeou-o ministro.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de predicativo do complemento direto.
b.    Na frase “Ela sentou-se perto do balcão.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de complemento direto.
c.    Na frase “Para minha alegria, vencemos a partida.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de modificador da frase.
d.    Na frase “Eu emprestei-lhe o livro.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de complemento indireto.
e.    Na frase, “Mãe, posso ir ao cinema?”, a expressão destacada desempenha a função sintática de sujeito.

5.   Classifica as seguintes afirmações em verdadeiras (V) ou falsas (F).
a.    O pronome “-la”, na frase “Oferecemo-la à Joana”, desempenha a função sintática de complemento indireto.
b.    Na frase “Ele deu-lhe um livro.”, o pronome “-lhe” desempenha a função sintática de complemento indireto.
c.    Na frase, “Ela deixou-me aqui.”, o pronome “-me” desempenha a função sintática de complemento oblíquo.
d.    Na frase “Ela comprou-me um livro.”, o pronome “-me” desempenha a função sintática de complemento indireto.
e.    Na frase “Eu encontrei-os na escola.”, o pronome “-os” desempenha a função sintática de complemento direto.


6.   Lê o excerto e completa a frase com as opções corretas.

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade, para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, "Para atravessar contigo o deserto do mundo", in Musa, Editorial Caminho, Lisboa, 2001.


As orações que compõem os três primeiros versos do poema são  
a) __________________________________________________ e desempenham a função sintática de b) ________________________________

Opções: substantivas; adjetivas; adverbiais; complementos; modificadores; predicativos.



7.   Lê o excerto seguinte e completa a frase com as opções corretas.

Tudo é verdade hoje...

GARRET, Almeida, Falar Verdade a Mentir, Areal Editores, Porto 2004.


A palavra “hoje” é um a) ______________ de b) __________________ que desempenha a função sintática de c) _____________________.

Opções: adjetivo; advérbio; quantificador; predicado; complemento direto; vocativo; modificador; lugar.

8.   Do conjunto de frases retiradas do conto “História da Gata Borralheira”, de Sophia de Mello Breyner, seleciona aquela que apresenta um sujeito nulo subentendido.

a.    Tinha vindo com a tia (...)”
b.    “(...) ninguém lhe respondeu.”
c.    A dona da casa chamou a sua filha (...)”
d.    Lúcia olhava-as com um misto de temor e fervor.

9.   Observa a frase seguinte e seleciona a opção correta.

Os perseguidores perscrutaram as sombras dos fundos.
BARRENO, Maria Isabel, “Os Parâmetros da Vida”, in O Enviado, Editorial Caminho, Lisboa, 1991.

Na frase anterior, a expressão destacada desempenha a função sintática de...
a.    modificador da frase.
b.    modificador do nome.
c.    predicativo do complemento direto.
d.    complemento oblíquo.

10. Identifica a função sintática desempenhada pela expressão destacada na frase seguinte.

“(...) o ladrão coxo foi acolhido por um alfaiate (...)”
BARRENO, Maria Isabel, “Os Parâmetros da Vida”, in O Enviado, Editorial Caminho, Lisboa, 1991.

11. Indica a função sintática desempenhada pelo adjetivo “parada” presente na frase seguinte.
“Minha alma está parada.”
Pessoa, Fernando, “A criança que fui chora na estrada”, in Antologia Poética, Editora Ulisseia, Lisboa, 1992.

12. Identifica a função sintática da expressão destacada na seguinte frase.

Nela secam as ervas (...)”
ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, "Casa do Mar", in Histórias da Terra e do Mar, Edições Salamandra, Lisboa, 1984.

13. Atenta no seguinte excerto.

“Tripulantes e passageiros (...) pediam confissão aos religiosos (...)”

13.1. Identifica e classifica o sujeito da frase anterior.
13.2. Transcreve o complemento indireto.
13.3. Reescreve a frase anterior, substituindo o complemento direto pelo pronome pessoal adequado.

14. Transcreve a palavra ou expressão que desempenha a função sintática de modificador na frase "Na torre o sino bateu duas badaladas."
ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner, "Casa do Mar", in Histórias da Terra e do Mar, Edições Salamandra, Lisboa, 1984.

15. Seleciona a opção correta.
Na frase “Ele dirigiu-se à cidade.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de...
a.    complemento oblíquo.
b.    complemento direto.
c.    modificador do grupo verbal.
d.    predicativo do sujeito.

16. Seleciona a opção correta.

Na frase “Este quadro foi pintado por um pintor célebre.”, a expressão destacada desempenha a função sintática de...
a.    complemento direto.
b.    complemento indireto.
c.    complemento agente da passiva.
d.    complemento oblíquo.

17. Lê a frase e seleciona a opção correta.

"(...) se o vento e o mar lhes fossem favoráveis (...)"

BARROS, João de, Os Lusíadas de Luís de Camões Contados às Crianças e Lembrados ao Povo
Livraria Sá da Costa Editora, Lisboa, 1998.

Na frase anterior, a expressão destacada desempenha a função sintática de...
a.    predicado.
b.    predicativo do sujeito.
c.    predicativo do complemento direto.
d.    complemento direto.

18. Lê a frase e seleciona a opção correta.

“Chamamos humanismo dos Descobrimentos ao movimento de ideias acionado pelas navegações que abriram aos povos ibéricos a extensa redondez do orbe terrestre.”

História de Portugal, dir. José Mattoso, Ed. Círculo de Leitores (texto com supressões)

Na expressão "que abriram aos povos ibéricos a extensa redondez do orbe terrestre” (1.º parágrafo) está presente um...

a.    modificador do nome com valor apositivo.
b.    modificador de nome com valor restritivo.
c.    predicativo do complemento direto.
d.    complemento do adjetivo.


Créditos: Ed. AREAL 



Depois de fazeres os exercícios, consulta a correção em Comentários a esta edição.

 

20 abril 2016

Memorial do Convento - análise crítica



 Na sequência dos registos de aula, relativamente aos trabalhos de grupo de análise  crítica e reflexiva do Romance (temas selecionados), especifica-se (e relembra-se) quais os conteúdos e objetivos específicos do Programa para esta atividade, os quais se encontram a negrito. 






PROGRAMA 12º ANO - MEMORIAL DO CONVENTO

Conteúdos
 

. Textos narrativos e descritivos

. leitura literária – Memorial do Convento de José Saramago (leitura integral)

- categorias do texto narrativo

- estrutura

- dimensão simbólica/histórica

- visão crítica

- linguagem e estilo

Objetivos
 

Mobilizar conhecimentos prévios

Antecipar conteúdos a partir de indícios vários

Distinguir a matriz discursiva de vários tipos de texto

Determinar a intencionalidade comunicativa

Apreender os sentidos dos textos
 
Refletir sobre o funcionamento da língua

Reconhecer a dimensão estética e simbólica da língua

Argumentar e contra-argumentar

Contactar com autores do Património Cultural Português

Programar a produção da escrita e da oralidade observando as fases de planificação, execução, avaliação

Aplicar as regras da textualidade

Adequar o discurso à situação comunicativa

Utilizar técnicas de pesquisa em vários suportes

Aplicar regras de tomada de notas

Organizar a informação recolhida

Avaliar ideias, comportamentos e situações de modo crítico e autónomo


Créditos das imagens
http://oplantadordenaus.blogspot.pt/2015/11/barcarola-passarola.html