Total visualizações

24 fevereiro 2016

Fernando Pessoa - Poesia(s)


Então? Não há dúvidas? 
Está tudo estudado, sabido, compreendido?

Chegaram mais parabéns aos vossos trabalhos publicados no face(maioritariamente de professores); é um estímulo para fazerem o melhor, amanhã!

"A poesia encontra-se em todas as coisas - na terra e no mar, no lago e na margem do rio. Encontra-se também na cidade - não o neguemos - é evidente para mim, aqui, enquanto estou sentado, há poesia nesta mesa, neste papel, neste tinteiro; há poesia no barulho dos carros nas ruas, em cada movimento diminuto, comum (...).
É que a poesia é espanto, admiração, como de um ser tombado dos céus, a tomar plena consciência de sua queda, atónito diante das coisas."
Fernando Pessoa 



 

22 fevereiro 2016

Testes e exames


 Também é válido para os TESTES!

Banco de dados dos TESTES INTERMÉDIOS

Banco de dados dos EXAMES NACIONAIS

Na reprografia - ficaram 5 livros de Preparação para Exame, com Exercícios sobre heterónimos já assinalados. 

19 fevereiro 2016

Texto longo - planificação

Outro exemplo para trabalhar.
  • Lê o texto de Daniel Sampaio. 
  • Reflete sobre a sua estratégia discursiva. 
  • Lê o exemplo de construção de uma tomada de posição. 
  • Escolhe o teu ponto de vista (com argumentos e exemplos) e escreve o teu texto (200-300).


Texto
Estratégia discursiva /
Recursos Retóricos

«Alguns pais dão prémios por tudo e por nada (…)


As recompensas em relação aos estudos são as que me provocam mais discordância.

Não compreendo que se gratifique um comportamento tão básico como deve ser a obrigação de andar bem na escola! O dever do adolescente é estudar (…),

não são necessários incentivos à partida nem prémios à chegada.»




Daniel Sampaio, Lavrar o Mar



Público-alvo/objeto da crítica alguns pais
Depreciação da posição criticável, com o uso de uma expressão feita, popular  - por tudo e por nada


Delimitação do âmbito da crítica
- aos que dão  prémios por tudo e por nada (discordância geral)

- aos prémios/recompensas em relação aos estudos (“mais discordância"/ particular)


Argumento/razão que sustenta a “discordância”:
Não compreendo que” .....(o que se critica)
Escolha de vocabulário : estudar é
- tão básico
- obrigação
- dever


Conclusão/reiteração da posição defendida:
- uso de sinónimos para evitar repetição não (...) incentivos (...) nem prémios

- Coerência lógica - estabelecimento dos estudos como percurso, tempo longo: à partida  (...) à chegada
(o que desaconselha prémios por tudo e por nada);



EXEMPLO DE TOMADA DE POSIÇÃO


«Alguns pais dão prémios por tudo e por nada (…)









As recompensas em relação aos estudos são as que me provocam mais discordância.





Não compreendo que se gratifique um comportamento tão básico como deve ser a obrigação de andar bem na escola! O dever do adolescente é estudar (…),











não são necessários incentivos à partida nem prémios à chegada.»


Daniel Sampaio, Lavrar o Mar


Depreciação da posição criticável / Exploração das debilidades do argumento para contra-atacar:
·       A diferença alguns/muitos
·       Poucos pais dão por tudo e por nada, sem razão forte
·       Muitos pais dão prémios ocasionalmente, quando merecido
Exemplo/conhecimento pessoal
·       As recompensas em relação aos estudos são as que me dizem mais respeito (ao estudante) porque conheço melhor; estou mais habilitado a discutir

Desmontagem do argumento/da posição; jogo com o vocabulário escolhido:
·       Para os estudantes com mais facilidade, mais inteligentes ou de meios familiares mais exigentes “andar bem na escola” (= ter sucesso) pode ser um “comportamento básico”, mas para muitos ter sucesso é bastante difícil e esforçoso
·       Estudar não é igual a andar bem (ter sucesso nos estudos)


·       [CONCESSÃO] Se à partida concordo que não deva haver “negócio”, chantagem que poderia causar maus hábitos e porque ainda não há nada a avaliar, à chegada pode ser muito importante ver o esforço reconhecido, o trabalho bem feito premiado
(seria pouco defensável incentivos à partida, tipo – se tiveres X dou-te Y; como temos de “ceder” em alguma coisa, cedemos aí) 
·       [AUTORIDADE] A Psicologia confirma/ Muitos estudos defendem/provam a importância do reforço positivo, do reconhecimento do mérito como tendo grande valor educativo e afectivo, em todas as fases da vida, em particular na adolescência 
·       Conclusão (manter coerência lógica; não alterar argumentação):

  • Sim aos prémios se:
·       Forem ocasionais
·       Só premiarem esforços significativos
·       Forem dados no final da jornada/do desempenho